NUESTRA SEÑORA DE LA CONCEPCIÓN

Essa embarcação era um dos mais ricos navios da frota espanhola do século XVII.
Galeão robusto, de casco arredondado com amplos porões, castelo de popa e proa altos, o que possivelmente dificultava muito a sua navegabilidade, com 45 metros de ponta a ponta e capacidade para 1.500 toneladas, esse navio tornou-se um dos mais famosos da história dos mares! Uma verdadeira lenda!
Supõe-se que tenha sido construído nas próprias Filipinas em virtude da abundância da madeira Teca, madeira escura muito dura e muito mais resistente do que as madeiras das embarcações feitas na Europa.
Ele fazia a rota entre Manila nas Filipinas e Acapulco no Novo Mundo (México)!

A Espanha achava o porto de Manila de suma importância! Lá eram concentradas as mercadorias vindas das mais diversas regiões da Ásia: China, Japão, Índia, Ceilão....e muitos outros.
De lá eram enviadas para Acapulco que por sua vez as enviava para a Europa.
A viagem de Manila até Acapulco era relativamente rápida em virtude das correntes de ventos favoráveis vindas de leste, permitindo que uma viagem de 15.000 quilômetros (9.000 milhas náuticas) levasse “apenas” 4 meses! Viagem bem rápida para os padrões da época!
Depois de zarpar de Manila com destino a Acapulco onde jamais chegou, carregava principalmente ouro, prata e jóias.

A rota do Concepción fazia com que ele passasse pelo estreito de São Bernadino nas próprias Filipinas, tomasse  o rumo  nordeste

Talvez o Concepciion tivesse esse aspecto!
Mas nunca saberemos!

 passando pelas ilhas Marianas do Norte indo até a latitude de 35º Norte para poder daí aproveitar-se dos ventos favoráveis que sopravam de leste.
Foi ao largo dessas ilhas (seriam palco séculos depois de épicas batalhas aeronavais entre americanps e japoneses durante a II Guerra), que se abateu sobre o Concepción uma violenta tempestade!

A bem da verdade, o navio estava sobrecarregado de carga, num total desrespeito às normas da coroa espanhola que por várias vezes mandara que se evitasse sobrecarregar os navio no intuito de diminuir os riscos de naufrágio e conseqüente prejuízo!
No transcorrer da tempestade, o capitão, piloto e oficiais não chegaram a um consenso sobre as ordens que deveriam ser dadas para conjurar a crise!

Com o aumento da violência da tempestade, os mastros do Concepción  partiram-se causando o descontrole total da nave ficando matroca (a deriva) ao sabor das ondas vindo a arrebentar-se contra recifes a sudoeste da ilha de Saipan em 20 de setembro de 1638.
A bordo iam 400 pessoas entre passageiros e tripulantes! Mas muito pouco desses escaparam!
A maioria ou morreu afogada ou foi morta pelo nativos da região! Para ver a possível  rota do Concepción:  clique aqui

Pelo que se sabe, 6 espanhóis conseguiram chegar a ilha de Guan nas Marianas do Norte e de lá tenham retornado às Filipinas!

Durante os anos que se seguiram os nativos conseguiram apanhar uma boa parte da carga do Concepción . O Governo espanhol ainda conseguiu resgatar 35 dos seus 36 canhões!
Mas a parte mais importante que era constituída de ouro, jóias, prata, essas ficaram nos seus porões durante os três séculos seguintes, vindo a serem recuperadas apenas nos anos de 1987 e 1988.
Afora as pedras do lastro, pedaços de louça foram resgatadas 1.300 jóias em ouro de 22,5 quilates, crucifixos, rosários anéis e alfinetes em ouro cravejados de pedras preciosas; 997 botões em ouro e 32 correntes de ouro com mais de um metro cada.

  Filigrana em ouro encontrada nos destroços!
Sua forma primitiva era redonda.

 

Por não se conhecer o total embarcado, não se pode afirmar o quanto ainda resta a ser resgatado.mas, pela dimensão da área ocupada atualmente pelos destroços, é certo que ainda muita coisa poderá ser encontrada!

Pente de ouro encontrado no resgate!

Quem se habilita de ir até lá buscar o resto?

Texto: Eduardo Dias Nunes
Foto Galeão: Grande Enciclopédia do Modelismo - Século Futuro
Foto 1 e 2: Editora Dorling Kindersley