Tabuados e decks

Quando estamos construindo um modelo, vez por outra se apresentam alguns problemas!
Como construir o deck simulando o calafetado e os cravos.
A sua reprodução está diretamente ligada a escala com a qual se está trabalhando.
Vamos supor, que as tábuas do navio original tenham em torno de 20 cm a 25 cm de largura, e que o modelo está sendo feito na escala de 1:100. No caso, o tabuado de nosso modelo seria de 2 mm a 2,5 mm de largura!

As cabeças dos cravos no modelo original seriam em torno de 10 mm de diâmetro, o calafetado entre as tábuas em torno de um valor menor que 10 mm. No nosso modelo, as cabeças dos cravos teriam de ficar com 0,01 mm, ou seja, um centésimo de um milímetro! O calafetado idem!
O mais indicado é não reproduzi-los! Fazê-los irá implicar em cometer o erro de superdimencionar o objeto que se está reproduzindo!
Um objeto com um décimo de milímetro é praticamente imperceptível a olho nu!
Aliás, já vi muitos modelos com esse tipo de problema!

Mas, partindo do pré-suposto que o modelo aceite a reprodução de calafetados, o modo mais simples é traçá-los com um lápis de ponta extremamente fina do tipo HB.
Isso se estivermos fazendo a simulação utilizando um compensado fino de de 1 mm a 2 mm de espessura.

 

 

A disposição das tábuas e comprimento, varia de acordo com a época e mesmo a nacionalidade de cada modelo.
Esse aspecto deve ser reproduzido de maneira mais fiel possível, conforme demonstrado na ilustração 2 logo abaixo.

 

Depois de terem sido traças as linhas, serão feitos sulcos com o auxílio de um punção de ponta muito fina.
É de fundamental importância utilizar uma régua metálica, principalmente se está tiver uma empunhadura.

 

Os sulcos longitudinais serão feitos, como mostrado acima, com um punção. Os sulcos relativos às junções, serão feitos com um pequeno formão que poderá ser feito a partir de um pedaço de lâmina de serra para metal.
Para fazer os sulcos das junções, que serão transversais, será necessário aplicar uma maior força, ou mesmo utilizar um pequeno martelo.

 

Imagem demonstrativa de um deck com aplicações dos sulcos que formam a simulação de calafetado.

 

Uma outra maneira de simular o efeito de calafetagem do piso de um deck, é inserir cartolina preta ou cinza bem escuto entre as ripas que compõem o piso.
Que fique bem claro, é  que esse método é empregado no caso do piso ser construído cortando-se cada segmento de madeira para serem colocados sobre o deck um de cada vez.

Poderão ser coladas sobre um falso deck, normalmente um compensado de 1 mm a 1,5 mm de espessura.
Requer  uma boa dose de atenção no sentido de colar de maneira que sigam a linha longitudinal do piso. Outro detalhe, é que os segmentos deverão ser colados de maneira que as junções reproduzam a disposição que está no original, tomando o cuidado de observar os obstáculos existentes decorrentes de obras existente no deck como gaiútas e escotilhas.

Alguns modelistas, preferem fazer o falso deck sem utilizar o falso deck de compensado. Nesse caso o nível de precisão é bastante alto haja vista que as junções têm de serem feitas sobre os topos dos vãos que dão sustentação ao piso.

O primeiro passo será cortar as ripas em um mesmo tamanho previamente determinado no estudo da escala em relação ao original.
Como os sargentos deixam marcas, adicione sempre dois segmentos a mais ao número determinado.
Esses serão descartados no final do processo.

 

Cortadas as ripas, devem ser condicionadas em um sargento de maneira a formar um bloco.
 

 

O papel preto ou cinza, aqui no caso cartolina, mas poderá ser um outro papel, isso será determinado pela espessura do mesmo em relação a escala, será colado uma das faces do bloco conforme mostra o desenho demonstrativo.

 

Depois que estiver o papel colado, retire o grampo e separe cada tira de madeira cortando o papel com um estilete.
Serão colados conforme mostrado no desenho.

 

Vista de um tabuado com a simulação de calafetado.

 

Matéria condensada da revista El Astillero.