CHAPEAMENTO DE CASCOS



Nas embarcações antigas, um dos maiores problemas era corrosão da broma. Os espanhóis inicialmente tentaram proteger os cascos de suas embarcações recobrindo o casco com chapas de chumbo fixadas com cravos. Esse procedimento tornava o casco bem mais pesado dificultando a sua navegação. Mais adiante utilizaram o cobre e outros materiais. Como o nosso objetivo não é aqui discorrer sobre o assunto, vamos mesmo ao que interessa: fazer o revestimento de um casco.

Vista da proa de um modelo que reproduz um Clipper do século XIX, onde pode-se constatar o agradável efeito do chapeado em latão, perfeitamente aplicado.

 

 

Você poderá adquirir o material pronto, pagando um preço meio salgado, isso é,  se achar! Ou poderá fazer a sua própria cobertura.

Para tanto utilizaremos o latão, que além de dar um aspecto muito agradável ao modelo, é bem mais fácil de trabalhar, desde que você "prepare-o" antes de começar o trabalho propriamente dito.

O primeiro passo será:

CONSEGUINDO A CHAPA DE LATÃO
Adquirir um segmento de chapa de latão com espessura de 0,10 mm com as dimensões apropriadas ao seu projeto que poderá ser encontrado em casas de artigos para artesanato. Geralmente são semi-duros.

 

RECOZIMENTO DO LATÃO


Recosa toda a chapa levando-a ao fogo até ficar rubra, mergulhando-a na água fria logo em seguida para esfriar.

Esse choque térmico deixará o latão mais macio e bem mais fácil de ser trabalhado.

 

POLIMENTO
Com o calor o latão ficará escurecido. Dê um polimento na chapa inicialmente com lã de aço e depois com uma flanela untada de massa de polimento até a chapa atingir o brilho desejado.

 

TRAÇAR LINHAS

Com uma régua e um lápis de ponta bem fina, (você poderá utilizar no lugar do lápis, um punção de ponta bem fina) trace linhas paralelas que determinarão a largura do chapeado, que serão tiras do metal aplicados ao longo do casco. 

 

Consiga em um relojoeiro uma catraca de despertador. A pequena catraca deve ser de metal (não serve de latão).


 

A carretilha é muito simples de ser feita, mas existe um pormenor. Os dentes da catraca deverão ser afinados com uma pequena lima triangular para que possam penetrar melhor no latão.


 

O desenho na chapa deverá ser feito com linhas duplas no sentido longitudinal. Isso se deve ao fato que em uma linha será "impressa" a seqüência de pregos. As linhas que ficam na parte externa de cada desenho servirão para determinar a linha de corte.


 

A carretilha deverá ser passada sempre pressionada seguindo a linha que determina o seu trajeto, sempre em um mesmo sentido procurando não fazer retrocessos, apoiando a chapa de latão sobre uma superfície macia, um papelão por exemplo.

Passe nos dois sentidos conforme mostra a figura ao lado.

 


 

O lado oposto por onde passou a carretilha imprimindo a série de linhas pontilhadas é que ficará a amostra.

Você poderá colar em seqüências únicas, duplas ou mesmo triplas. Isso vai depender de sua vontade. Outro pormenor, é que as vezes seja necessário adequar as linhas traçadas à curva do casco. Nesse caso as linhas longitudinais não serão retas, mas curvas.

A forma mais indicada de colar as chapas no casco é  utilizar a cola de contato.