Canhões e carretas


As amarrações e cabos de manobras das peças de artilharia, não raro, são "negligenciadas"!
Isso pode ocorre ocasionalmente  até mesmo em modelos feitos por experientes modelistas!
Na revista El Astillero pude dar uma olhada trazer para vocês uma forma simples e eficaz de instalar as ditas peças.
Devemos ter em mente que as peças de artilharia precisavam estar constantemente fixadas haja vista o seu peso e o balanço da embarcação.
Uma peças dessas estando solta ou mal fixada poderia trazer sérios transtornos aos tripulantes, até mesmo a morte.
O autor da matéria indica que foi buscar maiores dados na obra de Isidro Oliveras e Mondfield, verdadeiros mestres da arte Modelismo Naval sem sombra de dúvida!

 


Inicialmente foi feita uma peça que servirá de modelo para as demais.
 


 

Com o auxílio de um segmento de madeira comprido, pode-se simular a posição das peças nos locais a cada uma delas destinados e marcar onde serão colocados os pitons  que segurarão o cabos que limitarão o recuo da peça quando esta atirar.
Quem já montou o galeão São João da coleção da Altaya deve lembrar disso.


 

Mas lembrem-se que a escala e o conseqüente tamanho da carreta  vai determinar o andamento do processo.
Aqui pode-se ver claramente que o cabo principal (cabrea) passa pelo meio da carreta.
Observe também o pinton fixado na parte e trás!

 

 

No conjunto de carretas notem que a pintura no caso é vermelha. O motivo dessa cor já foi exaustivamente explicado nos vários tutoriais do site.
Foram feitas cunhas de madeira que serviam para graduar a elevação do canhão, onde foram inseridos pitons conforme demosntrado na imagem.
Nunca se esqueça da escala em que está trabalhando para evitar problemas de super-dimensionar a peça, o que não é lá muito raro de ocorrer, principalmente em kits industrializados e suas cópias!
 

 

Em virtude da escala, muitas vezes não encontramos no comércio a peça já em seu tamanho adequado.
Nesse caso, terá de ser feita pelo próprio artesão que está trabalhando o modelo.
Aqui eu colocaria um par de polias menores.
Mas isso é uma posição particular minha!
Apenas um palpite!

 

O cabo mais grosso (cabrea) será fixado ao aro de um piton que por sua vez  une-se  a outro cabo mais fino que servirá para manobrar a peça.
No caso, o piton será fixado a estrutura do barco que poderá ser no deck , ou empavesado.
Cada caso será tratado de uma forma!

 

O cabo grosso passará pelo furo no meio da carreta a ele destinado, sendo em cada extremidade unido a um piton e um cabo de manobra conforme relatado acima.

 

Vista superior da carreta e seus cabos fixados no deck principal.

 

Cabos e polias em seus respectivos locais já devidamente tencionados.

 

Imagem das peças de artilharia em seus respectivos locais!
Uma imagem muito bonita, diga-se de passagem!